• Curta no Facebook!

 

 

Empresas Coligadas

 

 

 

Notícias

 

Proteção veicular não é seguro ! Mas está cobrindo as brechas do próprio seguro!

20/5/2021 - Segs

Compartilhe:

 

Vamos ser indagadores: Cobriu a brecha deixada pela indústria do seguro?

Os seguros que a indústria seguradora não queria fazer ou com preços irreais ou pouco atuários?

A brecha é antiga e não é tratada há mais de 40 anos, basta verificar a existência das cooperativas de táxis. Alguém pode me informar por que não existe uma legislação para as cooperativas cinquentenárias?

Vamos lá:

Cooperativas ou Associações possuem o mesmo elo da indústria dos seguros: Mutualismo. Sim, na China, Babilônia ou na Canaã dos tempos bíblicos.

Entretanto, na forma primitiva. E esse pioneirismo babilônico serve para os nossos dias? Não, queridos, não serve! Hoje não é possível agir assim, sem uma premissa básica que aceite o livre- empreendedorismo.

O que falta?

Legislação! A Legislação oferece Direitos e Obrigações. E, dentro desse escopo nós temos o todo e o resto!

Entretanto, tudo isso que escrevi não é novidade alguma. Mas, vamos aos fatos:

A indústria do seguro é absolutamente responsável pelo desenvolvimento das Proteções Patrimoniais? E não vamos falar somente de veículos. Pois, quando entenderem o potencial nas mãos de quem não tem legislação... vamos falar de Direito Costumeiro? Gente, que absurda à porta aberta para qualquer coisa!

A indústria do seguro deixou passar uma boiada em Goiás e isso é fato? Vamos perguntar ao governador o porquê da boiada? Os bois estavam escondidinhos e apareceram de repente? Será que o Jornal Diário Oficial não publicou certas coisas? E onde está o controle sobre os ofícios? Os advogados não devem acompanhar os processos em que se responsabiliza pelos clientes? Vamos, por favor, me informem onde eu estou errado!

Como cooperadora da Susep, seria a indústria do seguro "designada"como co-protetora desse mercado? Mas a boiada passou, não passou? E que boiada que passou! Em Goias nasceu o vínculo para questões "uberistas". Sim, o dever de um arauto é ir na frente e o dever de vigia e vigiar! Então, nem um e nem outro?

Vamos aos fatos 2:

Quanto tempo se sabe do crescimento da Indústria da Proteção Patrimonial? Observe que o lobby que praticam não é pequeno. Me informe, como isso aconteceu? Sim, estão na frente, não há dúvidas. E, daqui a pouco vão oferecer tudo o que a gente oferece de bom, até bônus!

Gente, eu falo disso há pelo menos 20 anos! Eu disse que isso se tornaria o que se tornou hoje e não sou profeta. A verdade é que estava na cara estampada da irregularidade. Infelizmente, hoje já não posso falar que não há espaço para eles.

Ah, vou ser objetivo: Se a indústria do seguro não sentar com eles ... Agora a fase é outra, meus amigos. A fase agora é de negociação! E como os interlocutores já se posicionaram, não há espaços para os mesmos negociadores. O negócio é negociar, levando-se em consideração à posição que cada um conseguiu manter.

Mas o poder não está nas minhas mãos e nem nas mãos dos profissionais simples deste mercado. Ou será que alguém imagina que um pobre Zé Mané como eu poderia chegar tão longe? Sim, já cheguei longe demais e muitas outras coisas mais, inclusive em representar - sem ser sindicalista - a profissão dos corretores de seguro na Susep; mas aí já é demais, não é mesmo?

http://www.susep.gov.br/setores-susep/noticias/noticias/2012/grupo-de-trabalho-vai-atualizar-normas-que-regulam-atividade-de-corretagem-de-seguros

Claro que há espaço ainda para resoluções importantes. E, evidentemente, daria para salvar muitas coisas, mas tardiamente? Não, não tardiamente... há grande espaço para isso!

É fato que o maior erro partiu dessa indústria dos seguros(!)? Mas não é o momento de buscarmos os culpados. Até acho que eu não fiz o suficiente e me enquadro nisso de me culpar. Porém, quais ações estão mudando essa trajetória? Ou vai me dizer que é isso que estou vendo de novidades? Se for isso, me perdoe...

Sim, os corretores de seguros de todo o Brasil estão ávidos por entender as soluções contra a ilegalidade da falta de Legislação. Mais, muito mais, vou ser um pouco mais objetivo:

1) O povo brasileiro parece gostar de pirataria(!)? Então, fazer publicidade de Proteção Patrimonial é estímular o espírito de Robin Hood? Gente, perceba a avidez do povo pelo que é "romântico". Sim, não é assim que se faz o jogo!

2) Quem está fazendo o quê? Sim, vamos ser práticos nas ações!

3) Mudar a rotina. Quem está se dedicando hoje deve receber o parabéns, por trazer o assunto para todos nós daqui deste outro lado, mas é preciso mais do que vi até agora.

4) Publicar atos oficiais e mostrar rotina.

5) Etc

Esses meus comentários não são dirigidos a qualquer pessoa que não seja a mim mesmo. A verdade é que qualquer pessoa, que não sinta que fez o suficiente, deve expressar uma mea culpa, ou estarei errado?

Mas eu quero agradecer as medidas e contribuir para o debate. Afinal, juntos somos todos melhores que uns poucos!

Armando Luís Francisco
Jornalista e Corretor de Seguros