Mídias Sociais

  • Curta no Facebook!
  • Siga-nos no Twitter!

 

 

Empresas Coligadas

 

 

 

Notícias

 

Estudo revela o grau de maturidade digital das seguradoras

3/5/2018 - Revista Cobertura

Compartilhe:

 

Levantamento da consultoria aponta quais empresas securitárias irão conseguir evoluir e quais ficarão para trás nos próximos anos quando assunto é aplicar a transformação digital no modelo de negócio. Bradesco Seguros lidera ranking das mais digitais

A consultoria DOM Strategy Partners realizou um estudo para saber como está o grau de maturidade digital das principais seguradoras do Brasil. O objetivo da análise é apontar quais as empresas do setor estão mais consolidadas em trazer conceitos de Transformação Digital em seu modelo de negócio.

De acordo com o levantamento, a Bradesco Seguros é atualmente a seguradora que mais entrega elementos de Transformação Digital aos seus usuários como um fator diferencial de vantagem competitiva. Avaliada de 0 a 5 pelos consumidores, a companhia conquistou nota 3,22 por ter uma atuação como plataforma, o que inclui o desenho de ofertas nativas digitais, o digital as a service, a visão do cliente como usuários e não somente correntistas, a criação de aceleradoras de startups e a inovação colaborativa.

Além da Bradesco Seguros, a lista traz estas companhias na seguinte ordem: Amil/ UH (3,14); Caixa + Youse (3,12); Sulamérica (3,09); Tokyo Marine (3,02); Santander (2,99); Porto Seguro (2,98); Itaú Seguros (2,93); BB-Mafre (2,91) e Liberty (2,84).

Já sob a percepção do mercado especializado, ouvindo consultores e analistas securitários, a Youse foi a seguradora mais lembrada conquistando nota 3,22. Em seguida vieram Smarta, Bidu, Genial e Minuto Seguro todas com 2,22.

Segundo Daniel Domeneghetti, CEO da DOM Strategy Partners e responsável pelo estudo “Régua da Transformação Digital no setor de seguros”, a sobrevivência do modelo de negócio das seguradoras dependerá do uso de elementos digitais em suas estratégias de competição e de relacionamento com o cliente. “Quem não evoluir, digitalizar os seus processos para se destacar em seu ramo de atuação e facilitar a vida dos seus usuários vai ficar para trás. Será uma espécie de seleção natural ocasionada pela transformação digital”, completa o executivo.